Da estação de tratamento de águas residuais à rede de abastecimento de água: a experiência portuguesa

Da estação de tratamento de águas residuais à rede de abastecimento de água: a experiência portuguesa

Quase duas décadas de experiência e a sua presença em mais de cem instalações incentivaram a empresa portuguesa Águas do Tejo Atlântico a participar no projecto CircRural 4.0, que também conta com especialistas de Espanha e França para avançar com soluções de tratamento de águas residuais em zonas rurais baseadas na eficiência.

Durante a visita à ETAR piloto instalada no âmbito deste projecto na ETAR Fregenal de la Sierra (Badajoz), Rita Alves, responsável pela Investigação da Água em Portugal, explicou que a empresa, presente em 104 instalações, “está a mudar o paradigma do tratamento”, deixando de chamar estas ETARs a fábricas de água.

“Nosso trabalho consiste em recuperar recursos nessas plantas, tanto dos próprios resíduos, como dos nutrientes, quanto da própria água para reúso”, disse ele.

Alves assegurou que os problemas da purificação em ambientes rurais são semelhantes nos três países; “eles estão muito relacionados, no nível da operação das instalações, com o consumo de energia” e por isso, “queremos otimizar o consumo de energia nessas instalações garantindo sempre a qualidade dos efluentes tratados”.

Então “nós temos os problemas que têm a ver com alterações climáticas e escassez de água, portanto o reúso é algo muito importante em nossa atividade.

E finalmente, “temos 104 instalações com todos os problemas que isso implica em termos de viagens, possíveis descargas industriais, e é sempre mais difícil digerir esse impacto na menor ETAR”, acrescentou.

 

Rita Alves (Aguas de Portugal). EFE/J.J. Guillén

Por seu lado, a Universidade de Lisboa está a desenvolver, no âmbito do projecto CircRural 4.0, uma tecnologia que permite medir simultaneamente a eficiência da transferência de oxigénio e as emissões de gases com efeito de estufa.

Nesse sentido, o trabalho do pesquisador André Freches “consiste em fazer uma análise da eficiência dessa transferência e catalogar a emissão de óxido nitroso, que é um gás de efeito estufa que normalmente existe nas ETARs.

“O objetivo é fazer uma análise do ciclo de vida com uma ferramenta que nos permita quantificar e qualificar a melhoria desta abordagem na CircRural, em comparação com os processos que eram usados antes”, disse ele.

André Freches colabora em diferentes projectos de valorização de resíduos, principalmente em iniciativas promovidas pela União Europeia para a valorização de resíduos agro-industriais para a elaboração de produtos de valor acrescentado, como os plásticos biodegradáveis.

André Freches (Universidad de Lisboa)
André Freches (Universidad de Lisboa). EFE/J.J. Guillén
%d bloggers like this: